quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Confira os detalhes do talk show promovido ontem (24) pelo Shopping Barra com os blogueiros Cris Guerra e Caio Braz


Em mais uma feliz iniciativa para fomentar o mercado da moda baiana, o Shopping Barra promoveu ontem (24) um talk show com Cris Guerra e Caio Braz para marcar o lançamento de sua campanha Verão 2014, protagonizada pela modelo internacional Brenda Costa. No encontro para convidados e clientes, os super blogueiros falaram sobre o mundo da moda, incluindo lifestyle, comportamento, tendências, beleza, além de curiosidades sobre suas vidas e carreiras. Um encontro delicioso e descontraído que foi seguido de coquetel especial e ações em algumas lojas, a exemplo das vitrines vivas promovidas pelas marcas Limits e Blu K que apresentaram as tendências da estação.



APRESENTAÇÃO:
Cris e Caio iniciaram o bate-papo lembrando suas origens, o início de suas carreiras e a trajetória que percorreram até os dias atuais. Ambos são poderosos formadores de opinião no universo fashion nacional. Ela é mineira, escritora (inclusive, acaba de lançar o seu segundo livro “Moda Intuitiva”) e criadora do primeiro blog de looks diários do Brasil – o “Hoje vou assim”, que existe há seis anos. Além disso, é fundadora de mais dois blogs, “Para Francisco” – criado para seu filho ao tempo em que ficou viúva quando ainda estava grávida de sete meses – e “Amor e Ponto”; possui uma coluna de moda diária na Rádio Band News FM de Belo Horizonte e escreve crônicas quinzenais para a revista Veja BH. Ele nasceu em Recife, é apresentador e repórter do programa GNT Fashion, e comanda também o blog que leva o seu próprio nome.



SOBRE ESTILO:
A conversa girou em torno principalmente da questão do estilo. Para tanto, citaram algumas passagens do livro de Cris, que foi definido como uma desconstrução dos manuais de moda. Ela pontuou que tem um pouco de medo dos manuais porque são regras impostas (de fora para dentro) e o estilo deve partir da personalidade de cada um (de dentro para fora). A moda tem dicas, mas não possui regras.
O livro é um resumo da maneira natural como Cris se relaciona com a moda. Segundo a mesma, existem duas formas de conviver com esse fenômeno social: como escravo ou senhor. E ela escolheu a segunda opção, destacando a importância da intuição como uma forma positiva de se relacionar com as tendências. Tudo é uma questão de escolha e as decisões em torno do tema devem ser baseadas sempre na verdade de cada um. Assim, não adianta tentar parecer outra pessoa: “temos que fazer as pazes com nós mesmos”. Para exemplificar a questão, citou a campanha “Retratos da Real beleza”, da Dove (veja aqui), como um alerta para a importância da aceitação como ponto fundamental de partida para a descoberta do estilo. Nesse ponto, afirmou ainda o quanto a moda foi importante para mudar o conceito que ela tinha de si mesma. Caio completou sua fala lembrando que a indústria fashion é a segunda que mais gera empregos no Brasil, portanto sua importância não pode ser desmerecida, afinal ela tem uma grande influência na nossa vida.
Por sinal, ela contou que tem 36 tatuagens e que as mesmas possuem uma grande importância em sua auto aceitação, pois, segundo ela, “não viemos ao mundo para sermos iguais. Estamos aqui para brincar com a vida”. Assim, temos que fazer escolhas mesmo que sejam diferentes do “padrão” desejável socialmente. Pontuou ainda que temos que buscar um pouco do imprevisível, do incoerente com relação à moda. Temos que ser livres e nos divertir.
Caio revelou que não tem tatuagens porque acredita que pode enjoar. Sobre a ditadura da moda, criticou o uso do termo “must have”, utilizado nas mídias impressas e virtuais, reafirmando a importância da desmistificação de regras. Cris completou dizendo que cada dia podemos começar tudo de novo e fazer uma coisa diferente. Inclusive, citou que um dos exercícios de moda intuitiva, contidos em seu livro, consiste justamente em se descolar do olhar do outro: “a gente só encontra nosso estilo quando passa a se vestir para nós mesmos”. Uma ação que exige observação diante do espelho, com calma, com a ajuda de fotos para descobrirmos nossos defeitos, os melhores e os piores ângulos.
Ambos citaram a relevância da 3ª peça numa produção – o que a jornalista Astrid Fontenelle chama de look cebola (que vai descamando ao longo do dia) – definindo-a como a cereja do bolo, pois enfrentamos, no dia a dia, diversas situações que podem nos expor ao frio e ao calor, a uma ocasião formal ou informal.
SOBRE AS TENDÊNCIAS:
Caio aproveitou a oportunidade para falar das tendências atuais e citou os cabelos curtos, que estão em alta, mas lembrou que as brasileiras preferem ainda os longos. Cris asseverou que talvez seja porque costumamos nos preocupar muito com o que os outros querem de nós, e que isso não deve acontecer.
Ainda sobre as trends, Caio lembrou do étnico que está na moda há várias temporadas e que tem muita sintonia com a Bahia devido à sua relação íntima com a África. Disse também que atualmente está havendo um grande intercâmbio entre o Brasil e Marrocos, e que Marrakech se transformou em um dos destinos preferidos da “galera hypada” de São Paulo. Isso se reflete na moda como um fator de influência da cultura e valorização de outras etnias no cenário fashion nacional.
Continuando, Caio destacou a padronagem inspirada nos azulejos portugueses, e Cris aproveitou para evocar o mix de estampas, sugerindo a combinação do referido print com listras. Pontuou sobre o medo que as pessoas ainda têm de misturar estampas, afirmando que “errar não é tão sério assim. No outro dia você conserta. É importante errar para poder acertar.” Sobre o seu look, explicou que misturou estampa com textura (coisa que antes era impensável) e que obteve um resultado bem legal. Além disso, usou um cinto fino que deu à blusa um efeito de peplum, o que ajuda a afinar a cintura em quem é mais retinha como ela. Lembrou ainda do sucesso das transparências, clássico que sempre devemos ter no armário.
Caio destacou a tendência esporte chic: modelagens esportivas aliadas a materiais nobres que primam pelo conforto e sofisticação. Além disso, citou as gladiadoras sem salto e as ankle cuffs (tornozeleiras, que podem ser de metal ou feitas com material mais rústico) como itens em alta na moda atual.
A QUESTÃO DE “SER BÁSICA”:
Cris explicou que não há qualquer problema em ser básica desde que isso seja uma escolha consciente. O que não pode é conservar esse status por medo de arriscar: “o problema de ser básica é ser aprisionada. É diferente de dizer que adora ser básica”.
Podemos ter vários estilos. Cada pessoa pode comprar um estilo pronto ou descobrir o seu. Para isso é necessário o autoconhecimento.
Caio sugeriu um exercício importante para a composição do guarda-roupa e, para tanto, citou o seguinte exemplo: devemos aprender a trocar três peças de R$100,00 por uma peça de R$ 300,00 que seja de boa qualidade. Isso significa comprar com mais inteligência para aproveitar o potencial máximo da roupa. Cris arrematou dizendo que podemos ter vários tipos de relacionamento com as roupas, assim como com as pessoas: eles podem ser curtos ou duradouros.
CONSIDERAÇÕES FINAIS:
Ambos reafirmaram a questão da descoberta do estilo como uma consequência do autoconhecimento e que devemos comprar uma peça não pela marca ou preço, mas porque realmente gostamos. Para Caio, não tem nada mais cafona do que estar todo vestido de marca dos pés à cabeça, e que o chic mesmo é ser “high-low” – saber misturar itens de marca com outros comuns. Cris acrescentou, sugerindo que o preço não deve ser o fator mais importante em uma compra, mas a qualidade e principalmente o que a roupa representa para cada pessoa.
Para finalizar, Caio encorajou os presentes a fazerem a diferença sem medo de errar. E Cris lembrou que nunca é tarde para mudar, para ousar.

Imagens e conteúdo por Anacele Guimarães.



sábado, 7 de setembro de 2013

A primavera exalta o fascínio do homem pelos pássaros


O mês de setembro anuncia a chegada da estação das flores, estreitando ainda mais a nossa relação com a natureza. Uma ligação visceral e profunda que celebramos constantemente através da moda, em diversos elementos que cobrem o corpo com mensagens de respeito, amor e orgulho.

Na primavera, nos vestimos de jardim e nos colorimos de sol, de terra, de verde, de céu, de sonhos, mas, sobretudo, do desejo de liberdade que ganha destaque na figura do pássaro e seu poder de voar. 

Sempre com infinita criatividade, somos eternos admiradores a exaltar a beleza e a grandiosidade desse todo do qual somos apenas uma pequena e limitada parte.






























Imagens: reprodução.



domingo, 21 de julho de 2013

Editorial faz bela homenagem fashion à Liza Minnelli


A cultura e seus inesquecíveis ícones são fonte de inspiração constante para os editoriais de moda. Recentemente foi a vez da revista Numero realizar uma homenagem fashion à atriz e cantora americana Liza Minnelli.

Nas imagens, fotografadas por Sofia Sanchez e Mauro Mongiello, a modelo Elisabeth Erm encarna uma versão contemporânea da inesquecível personagem Sally Bowles, do filme “Cabaret”, que rendeu a Liza o Oscar de melhor atriz.

O stylist ficou por conta de Samuel François, enquanto que a beleza foi assinada por Romina Manenti (cabelo) e Rie Omoto (maquiagem).





























Imagens: reprodução.

domingo, 16 de junho de 2013

Nick Knight para a W Magazine


O renomado fotógrafo inglês Nick Knight assina um editorial de alta costura para a revista W Magazine onde as belas ilustrações de moda exploram o contraste entre a violência e a delicadeza em uma sofisticada atmosfera de contos de fadas. Na produção, a modelo Karlie Kloss veste peças das grifes Dior, Givenchy, Chanel e Iris Van Herpen, dentre outras. E o resultado não poderia ser mais encantador!

























Imagens: reprodução.



MODA + FOTOGRAFIA + ILUSTRAÇÃO = UMA BELA MISTURA DE ARTE E CRIATIVIDADE


Os mais fascinantes editoriais de moda trazem o diferencial da criatividade. Assim é a recente produção da Hunger Magazine, chamada  "Paper Part of Me", que retrata o glamour moderno de forma bem humorada através da interessante mistura de fotografia com ilustração. As imagens são assinadas por Lukas Dziewic e as ilustrações por Magdalena Pankiewicz. Aprecie!





















Imagens: reprodução.


terça-feira, 11 de junho de 2013

A elegância gótica ganha destaque no belíssimo editorial da Vogue Korea


A edição de outubro de 2012 da revista Vogue Korea traz o editorial "Gothic Elegance". Uma produção inspiradora que resultou em belíssimas imagens. Delicie-se:









Imagens: reprodução.